Imprimir esta página

Leucaférese

Algumas doenças mieloproliferativas podem levar a aumentos extremos na contagem periférica de leucócitos (superior a 100.000x10 9 /L) e plaquetas (superior a 1.000.000x10 9/L). A elevação persistente da contagem plaquetária que pode ocorrer nas doenças mieloproliferativas pode estar clinicamente associada a fenômenos trombóticos e/ou hemorrágicos. A terapia com aférese deve ser sempre considerada quando a contagem exceder 1.000.000 x 10 9 /L ou se houver manifestação clínica.

 A presença de mais de 100.00 x 10 9/L leucócitos no sangue periférico pode ser associada a complicações gravas, quando não fatais. Os sinais e sintomas mais freqüentemente observados são fraqueza, cefaléia, tontura, zumbidos, alteração do nível de consciência, hemorragia intracraniana, dispnéia, insuficiência pulmonar e hemorragia alveolar.

 A terapia com aférese deve ser sempre considerada na presença das manifestações clínicas, independenteda leucometria. Em pacientes assintomáticos a indicação da aférese deve ser discutida avaliando-se a contagem celular, as características das células aumentadas a idade do paciente, o hematócrito e o estado da microvasculatura. O procedimento também pode ser considerado no controle da leucemia em pacientes que apresentam alguma contra-indicação temporária de uso de quimioterápicos, por exemplo, gravidez.

 Caso haja a manifestação clínica relacionada ao aumento de células no sangue periférico, o procedimento deve ser instituído, sendo considerado como uma emergência dentro das indicações de aférese terapêutica.

 Em cada procedimento de aférese devem ser processadas cerca de duas a três volemias do paciente. O procedimento deverá ser repetido diariamente até que as manifestações clínicas tenham sido controladas ou as contagens celulares importantes reduzidas. Cada procedimento é capaz de reduzir, em média 30 a 40% o número de células anormalmente presentes no sangue.

 Apesar de o procedimento de aférese ser eficaz na redução aguda do número de células aumentadas, a quimioterapia é a terapia que deve ser instituída prontamente; uma vez que os benefícios do tratamento de aférese são temporários. É a retirada dos leucócitos (glóbulos brancos) do sangue, com devolução dos outros componentes ao paciente. Este processo é utilizado no tratamento de certas leucemias, onde após cada procedimento podemos observar redução de 30-40% da contagem inicial de leucócitos.