Imprimir esta página

Coletas de Celulas Progenitoras Hematopoéticas de Sangue Periférico

A coleta de stem cell é uma outra “modalidade” de leucaférese.

 A fração celular chamada de células mononucleares é separada sob ação da gravidade (centrifugação). Esta fração celular contém populações de monócitos e linfócitos e nelas um raro grupo de células hematopoiéticas de sangue periférico- stem cell ( <0,3% das células mononucleares do sangue são stem cell). A “preparação de stem cell” é mais comparável à preparaçãode células mononucleares com baixa dose de stem cell no plasma autólogo e, dependendo do procedimento, com variações na contaminação de hemácias, plaquetas e granulócitos. As células hematopoiéticas stem cell são caracterizadas pelo marcador CD 34.

 Existem duas formas principais de coleta de stem cell por aférese.

  •  coleta autóloga de stem cell (doação do paciente para ele próprio)
  • coleta alogênica de stem cell (doação de um doador voluntário para um paciente não relacionado)

 Em caso de stem cell autólogo, o paciente “doa” o seu próprio sangue facilitando o procedimento. Atualmente, a quantidade de células necessárias (yield) é de no mínimo 2x10 6 CD34- células positivas/ Kg do peso corporal. A quantidade de stem cell e o número de procedimentos de aférese necessários para coletar a “dose terapêutica” podem variar, incluindo as condições o sistema hematopoiético dos pacientes e quanto que o sistema hematológico foi afetado por terapias anteriores.

 Durante o procedimento, o volume de sangue processado e o rendimento por aférese são limitados, muitas vezes duas aféreses durante um pequeno período de tempo são necessários. Se possível, os pacientes são “condicionados” por quimioterapia e mobilizados por 4-5 dias com duas doses de fator de crescimento GCSF 5-6?g/Kg.

 A quimioterapia conduz a um limite de mobilização das stem cell da medula óssea em curto prazo. A transfusão é realizada em ambiente hospitalar. Levando-se em consideração a citotoxicidade do DMSO a altas temperaturas, existem alguns cuidados à respeito do equipamento e a experiência da equipe.

 A indicação típica de transplante autólogo de stem cell é ( depois de altas doses de quimioterapia):  Desordens hematológicas ( Linfoma Hodgkin, Linfoma não Hodgkin, Leucemia Mielóide Aguda, Leucemia Linfóide Aguda, Leucemia Mielóide Crônica, Plasmocitoma, incluindo tumores sólidos (teratoma testicular, sarcomas e etc).

 Para transplantes alogênicos de stem cell, o procedimento assemelha-se com a doação de plaquetas. O tempo total necessário, todavia, é significantemente maior porque o doador precisa ser encontrado apresentando compatibilidade HLA.

 Para aumentar o número de stem cell hematopoiéticas no sangue periférico, o doador deve ser mobilizado. Isto é feito, aplicando fatores de crescimento G-CSF por um período superior a 4-6 dias. (dose normal 5-10 µg/kg do peso corporal do doador). O efeito adverso típico do G-CSF é dor óssea. Durante a mobilização, a porcentagem de CD34+ entre as células mononucleares podem aumentar em 4%.

 A doação alogênica de stem cell é considerada uma obrigatoriedade, salva vidas mensurada por pacientes em aplasia depois de quimioterapia mielo ablativa de altas doses. Respectivamente, altos são os requisitos para o doador. Normalmente, um doador regular de plaquetaférese concorda em realizar esta doação. Para assegurar a dose segura de células coletadas, neste tipo de procedimento coleta-se pelo menos 4x106 CD34+/Kg do peso corporal do paciente (receptor), para certas patologias, esse valor é superior a 20x106 CD34+/Kg do peso corporal do paciente (receptor).

 As indicações típicas para transplante alogênico de stem cell são:

  •  Neoplasias hematológicas (LMA, LLA, LMC, plasmocitoma, Linfoma Hodgkin com certa extensão e Linfoma não Hodgkin),
  • Desordens não hematológicas (anemia aplastica, síndrome mielodisplasica),
  • Doenças hereditárias tais como severos distúrbios hematológicos)

 Qualquer forma de mobilização somente promove um aumento temporário do número de stem cell circulantes. Desde o “pico” das células CD34+ podem ser observadas em poucas horas a coleta de stem cell por aférese (autólogo ou alogênica).